29 de outubro de 2014

SEMINÁRIO TEMÁTICO

DO CURSO DE LETRAS DA FAMASUL


O Professor Admmauro Gommes ministrará a palestra
A COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E O PÚBLICO-ALVO
Às 19h30 - 03/11/14 – na sala 19 / FAMASUL

28 de outubro de 2014

SUGESTÃO DE LEITURA

Além dos livros indicados pelos professores de cada disciplina, sugiro que o profissional formado em Letras tenha lido, ao final do curso, as obras abaixo relacionadas. (Admmauro Gommes)




           PROSADORES
1. Pero Vaz de Caminha - A Carta
2. Joaquim Manuel de Macedo - A Moreninha
3. José de Alencar - Iracema
4. Machado de Assis - Dom Casmurro
5. Aluísio Azevedo - O Cortiço
6. Graciliano Ramos - Vidas Secas
7. Dias Gomes - O Pagador de Promessas
8. Franz Kafka - A Metamorfose
9. Cervantes - Dom Quixote
10. Fernando Sabino (crônicas)

           POETAS
1. Gregório de Matos
2. Tomás Antonio Gonzaga
3. Castro Alves
4. Olavo Bilac
5. Augusto dos Anjos
6. Ascenso Ferreira
7. Carlos Drummond de Andrade
8. Manuel Bandeira
9. Murilo Mendes
          10. Vital Corrêa de Araújo

___________________________________________________
Professor:
Confesso que quando comecei o curso de letras odiei essa de história de ler, mas hoje admito que estou gostando mais, tenho ideias mais rápidas. Parabéns, para o senhor em ter me mostrado a importância da leitura para meu crescimento.
Romélia Milânia - 1º Período de Letras/FAMASUL (2014.2)


24 de outubro de 2014

VITAL CORRÊA MAIS UMA VEZ NA FAMASUL

O POETA VITAL CORRÊA DE ARAÚJO ESTEVE NA FAMASUL MAIS UMA VEZ (23.10.14). Ele participou de uma palestra sobre a literatura contemporânea no primeiro período de Letras. Estiveram presentes Romilda Andrade, Josenildo Barros, Sylvia Beltrão, Genyff Farias, Marry Francyelle, Ricardo Guerra e Marcondes Calazans. Este veio acompanhado de vários universitários de História. O encontro foi promovido e mediado pelo professor Admmauro Gommes. 

















I Período de Letras da FAMASUL (2014.2)

Ler Vital será um grande desafio, pois cada vez mais ele se fecha em um mundo impenetrável de obscura linguagem. (Admmauro Gommes)

Nesse jogo, Vital vem conquistando a todos, e nós, como leitores sentimos cada vez mais a motivação em desvendá-lo, ou melhor: derrotá-lo! (Sylvia de Azevedo Beltrão)

A poesia dele é viva e renovadora, mediante as metáforas cerradas que instigam o cérebro a trabalhar com mais profundidade. (Osani Severina)

Para VCA, a linguagem poética já não tem que imitar a natureza ou explicá-la como a maioria do discurso prosaico ou descrição realista, mas fazer surgir uma realidade nova. (Gabriela Raianne da Silva)

Vital Corrêa busca derrubar vocábulos e significados, transformando suas obras em um conjunto de versos intraduzíveis. Ele defende uma poesia complexa, que leve os leitores a pensar, a “multiplicar neurônios.” (Farlla Caroline Rosendo da Silva)

Qualquer determinismo ou prévio cálculo poético Vital isola. Para ele, não há sentido no finito, ou finito sentido. (Cláudio Veras)

Ricos em metáforas são os poemas de VCA. Ele de fato faz uso exorbitante da metáfora, alguns deles, às vezes, soam como uma denúncia, confissão, apelo, desejo e por que não dizer, uma sublime utopia. (Marta Roberta Ramos da Silva)

Conhecer Vital Corrêa de Araújo é adentrar num mundo oculto, ativar a mente, vomitar os neurônios e engolir algo estranho, arranhento. (Rozineide da Silva Lopes)

As metáforas utilizadas com muita técnica e rigores intrigantes de VCA me causaram uma estranheza. Uma linguagem bastante aguçada, abstrata, densa e, apesar dos poemas serem de versos livres, estamos perante uma obra clássica. (Humberto da Silva Cândido)

Vital afirmou que a expressão através de palavras não pode ser clara, pois assim perde a graça porque o leitor descobre rápido o segredo guardado dentro do texto. (Douglas Henrique Tavares Rocha)

Assim, compreende-se que para VCA, a poesia tem como objetivo compreender o ser, entretanto, homens e mulheres são seres inacabados. (Maria Jailma Galdino de Moura)

Surge-nos a figura ímpar de Vital Corrêa de Araújo, cuja produção literária, poética e prosaica, (principalmente, sua produção poética) corresponde à não-pedagogização, à antioficialização, e à produção anticanônica,  fundamentada no conflito entre dessacralização e ressacralização,  dessublimação e ressublimação das tendências  poéticas neoposmodernas. (João Constantino Gomes Ferreira Neto)

Como entender, por exemplo, um pensamento desconcertante na medida em que VCA, ao derrubar a compreensão da realidade ao “pé da letra”, rompe com os “ideais” da modernidade, colocando-se na contramão de muitos valores que consideramos conquistas imutáveis?  (Marcondes Calazans)

Reajamos, como o pessoal de Letras da FAMASUL está fazendo! (Vital Corrêa de Araújo)

23 de outubro de 2014

POEMAS SINTÉTICOS

Escrevi em um fim de semana (21.10.13) dois poemas sintéticos. O primeiro, a pedido do professor Jailton Ferreira de Oliveira (FAMASUL e Sirinhaém). Ele sugeriu um texto com apenas uma palavra que se repetisse, mudando apenas o sentido; o outro, indicado por Vital Corrêa de Araujo, é uma condensação de uma vida, em um único verso (monóstico).  – Admmauro Gommes




AMARA

Amara!... Amara!...
Amara amara amará?
Amara amara.
Amara?
Amara.


VIVA!

Você está vivo!


Aí, Sylvia disse:


Eu leio “Amara” e não me conformo com esta definição: “poema sintético”. Ora, sintético corresponde a algo resumido. Tudo bem que se pararmos para observar apenas a estrutura do poema, realmente ele não foge da definição de sintético. Mas e outro lado da moeda? Quando falo que não me conformo, na verdade estou me referindo à interpretação do poema. Não existe absolutamente nada de sintético na interpretação de Amara, ela é muito ampla. 

O poeta Admmauro Gommes, como sempre, foi muito engenhoso na sua criação poética. Utilizando apenas uma palavra ele conseguiu o feito de intitular, criar e dar sentido ao poema (este último é o que julgo que há de mais complexo). Como a excelência é parceira dele sempre, o poema de apenas uma palavra, contraditoriamente, não tem apenas um significado. Eu encontrei três interpretações para “Amara” e não duvido que alguém que tenha uma imaginação mais fértil que a minha, seja capaz de encontrar um número maior de sentidos nesse poema tão bem escrito. Falarei sobre a interpretação que mais me fascinou. Para mim, o título corresponde à uma mulher, que se chama obviamente, Amara. 

No primeiro verso, vejo um homem suspirando o nome da mulher amada: “Amara!... Amara!...”. No segundo verso, observo duas perguntas em uma: “Amara amou? Amara vai continuar a amar?”. Dando sequência, vem a confirmação: “Amara amou!”. No quarto verso, uma pontinha de dúvida é colocada: “Amara (a mulher), amou?”, Por fim: “Amara”. “Sintetizando o poema sintético”: Amara amou e sempre amará! Fascinante é ter a plena consciência que toda esta interpretação foi feita tendo como instrumento de estudo, apenas uma palavra. E perturbador é saber como em tão pouco tempo esse desafio foi vencido por Admmauro. 

Observe como ele apresenta o poema: “Escrevi este fim de semana dois poemas sintéticos”. Falou com a tranquilidade de quem sabe o que faz. Isso me impressionou muito, me questionei de imediato: “um final de semana?!”. Sou realista! Se me trancassem em uma sala, me dessem um papel, uma caneta e um desafio desse tamanho, seguido da afirmação: Você só sai dessa sala com um poema sintético, composto por apenas uma palavra e que dê margem à várias interpretações, coitada de mim! Esta sala seria a minha prisão perpétua. 

Tenho sã consciência que uma criação poética de elevadíssimo nível como “Amara” é privilégio para poucos. É por essas e outras que não aceito o título de ex-aluna de Admmauro Gommes nem mesmo na minha lápide, sei que ainda tenho muito para aprender e não posso perder esse meu mestre de vista, afinal: ADMMITO que ADMMIRO ADMMAURO! Com muito orgulho: Parabéns, ilustre poeta!
                                                   Sylvia Beltrão 24 de outubro de 2013 13:49


22 de outubro de 2014

DESMIMESMAMENTO

                                Admmauro Gommes
Não quero que a palavra diga
o que não vem de mim ou me interpretem
desmimesmando.
Portando, crateras de néstogas
e tropel de gímpazos
cordímbula de tráquitos
e moa perdendo suas folhas
no dínamo da última paneta
refigurando a beleza bazela
de Desdêmona injuriada.
Este é o meu retrato mais frazil
feito de liscas e benas maviais.
O mais que disserem de mim será
tráquenas de alguns dorcas retorgentos
ou puramente
a malínea xecônia dos magais. 

21 de outubro de 2014

ENADE DE LETRAS 2014

Art. 7º A prova do Enade 2014, no componente específico da área de Letras, tomará como referencial os seguintes conteúdos curriculares:

I - Estudos linguísticos:
a) concepções de língua nas diversas teorias linguísticas;
b) níveis de análise da língua;
c) formação histórica da língua portuguesa;
d) gêneros discursivos;
e) variação linguística;
f) aspectos distintivos, linguísticos e extralinguísticos, do português do Brasil;
g) teorias de aquisição da linguagem oral e escrita.

II - Estudos literários:
a) conceitos de literatura e cultura;
b) especificidades da linguagem literária;
c) teorias críticas da Literatura;
d) gêneros literários (da Antiguidade à Contemporaneidade);
e) movimentos literários;
f) formação do cânone e do anticânone;
g) manifestações populares da Literatura;
h)inter-relações da Literatura com outros sistemas culturais e semióticos.

III- Formação profissional do licenciado:
a) teorias e métodos de ensino e aprendizagem de língua e Literatura;
b) tecnologias da informação e da comunicação.

Fonte:
Portaria Inep nº 258, de 02 de junho de 2014.
Publicada no Diário Oficial da União em 04 de junho de 2014.


O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes – Enade é componente curricular obrigatório dos cursos de graduação do país e tem como objetivo aferir o desempenho dos estudantes em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares do respectivo curso de graduação, suas habilidades para ajustamento às exigências decorrentes da evolução do conhecimento e suas competências para compreender temas exteriores ao âmbito específico de sua profissão, ligados à realidade brasileira e mundial e a outras áreas do conhecimento.

Para atender a este objetivo, a prova do Exame é constituída de duas partes:
- Formação Geral (FG): composta de 10 questões.
- Componentes Específicos (CE): composta de 30 questões, sendo 27 de múltipla escolha e 3 discursivas.



O Enade 2014 será realizado no dia 23 de novembro,
com início às 13 (treze) horas do horário oficial de Brasília.

Veja também o MANUAL DO ESTUDANTE DO ENADE em:




17 de outubro de 2014

INSPIRAÇÃO




OS POETAS UTILIZAM A INSPIRAÇÃO
OU O DOMÍNIO DA TÉCNICA?

       
SOBRE A INSPIRAÇÃO, ESTÃO DIZENDO QUE...

1. “...pois é quando estamos com a alma calma, em sossego e "Desconfiar da inspiração" porque é a motivação e até a intuição com domínio da técnica que nos faz produzir um poema.” Josiette Silva. 3º período/Letras, 30 de abril de 2012.

2. “...  para se fazer um bom poema e, este se transformar em poesia, o poeta tem que ter INSPIRAÇÃO, com todas a letras e os sentidos em maiúsculas. – Ricardo Guerra - Jaqueira Histórica, 1 de maio de 2012.

3. “Inspiração é o motivo pelo qual muitos acreditam escrever, mas na realidade quem escreve bem tem o domínio da técnica.” – Carla Cristina. 3º Período de letras, 1 de maio de 2012.

4. “Sem a Técnica é impossível dizer coisa com coisa. A Inspiração praticamente não existe, é abstrata, apenas faz parte da Técnica.” Felipe Silva. 1° período de Letras, 1 de maio de 2012.

5. “Quando consideramos técnica dentro da Arte, não é necessariamente um aprendizado colhido na escola, no meio acadêmico, mas uma teoria vivenciada na prática. E teoria todo artista possui, naturalmente, ao lado da técnica que se desenvolveu com o tempo.” - Admmauro Gommes

6. “O poeta é inspiração, a técnica vem a embelezar toda a estrutura, mas de nada seria texto poético sem a inspiração do poeta.” Diego Gomes. 5° Período/Letras - FAMASUL. 7 de maio de 2012

7. “Para começo de conversa, acho a palavra “técnica” um termo muito “concreto” para algo tão subjetivo que é a poesia. A toda imagem poética, a todo poema confere um passado. Isto é, a experiência que a poesia traz consigo independe de técnica.” Karoline Serpa. 8 de maio de 2012

8. “A primeira resposta dada à pergunta “Como você imagina que o poeta faça sua poesia?’’ que havia sido ‘’Tem inspiração’’. Ficou claro, portanto, que, para se fazer poesia, é preciso saber trabalhar com a linguagem, saber explorá-la em todos os níveis: o fonético, o morfológico, o sintático e o semântico.”  - Dieli Vesaro Palma (PUC-SP) e Heloísa Cerri Ramos (Experimental da Lapa/SP).



E você, o que diz?

Participe também deste debate


EU NÃO SEI O QUE É A INSPIRAÇÃO
Eu não sei o que é a inspiração. (...) imaginemos que eu estou a pensar determinado tema e vou andando, no desenvolvimento do raciocínio sobre esse tema, até chegar a uma certa conclusão. Isto pode ser descrito, posso descrever os diversos passos desse trajeto, mas também pode acontecer que a razão, em certos momentos, avance por saltos; ela pode, sem deixar de ser razão, avançar tão rapidamente que eu não me aperceba disso, ou só me aperceba quando ela tiver chegado ao ponto a que, em circunstâncias diferentes, só chegaria depois de ter passado por todas essas fases. - SARAMAGO, José. In:Diálogos com José Saramago. Disponível em:  http://www.citador.pt/pensar.php?op=10&refid=200905051500.


INSPIRAÇÃO: UM FRASH NA CABEÇA DOS SÁBIOS
A inspiração faz muito mais parte da técnica, mas a técnica não tem nada a ver com a inspiração pois a técnica é o ato de saber se expressar diante da inspiração. a Inspiração é apenas um frash rápido na cabeça dos Sábios. Felipe/1° período de Letras
INSPIRAÇÃO VEM ÂMAGO DE CADA SER
Sempre achei que inspiração é algo intrínseco, do âmago de cada ser pensante, ela vem dos nossos mais profundos sentimentos. Prof. Riccardo Guerra- Jaqueira

PODE-SE TIRAR POESIA ATÉ DO ESGOTO
“O que constrói a radiância de um verso nem é a presença do sol, nem é a presença de uma alma alegre, a radiância de um verso vem das radiâncias letrais. Pode-se dar alegria ao esgoto.” - BARROS, Manoel de. In: Suplemento. l997, nº 21, Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais.

INSPIRAÇÃO OU AQUECIMENTO?
“Devemos escrever mais friamente. Desconfiar dessa espécie de aquecimento, que chamam inspiração, e no qual geralmente se produz mais emoção nervosa que força muscular.” - FLAUBERT, Gustave (Apud. NIETO, Ramón. O Ofício de escrever. São Paulo, Angra, 2001).

INSPIRAÇÃO E TRANSPIRAÇÃO
“Talento é 1% inspiração e 99% transpiração.”EDISON ,Thomas. Disponível em: http://pensador.uol.com.br/frase/MTQ4NA/ Acesso: 31.4.12


Deixe seu comentário
aqui
.

15 de outubro de 2014

10 de outubro de 2014

A POESIA DE WILSON SANTOS

"Existe uma luz que brilha dentro do poeta Wilson Santos, e essa luz chama-se essência, sua altura e profundidade se encontram no que ele consegue materializar quando escreve seus poemas." - Marcondes Calazans


“Wilson Santos agora se mostra domador da alma da Literatura (a poesia)” – Roberto de Queiroz 
Wilson Santos
O professor Wilson tem uma alma poética que vem de longe. Na sua família, registra-se a presença de um grande maestro e ele mesmo é um dos promotores de uma nova metodologia de ensino, quando há mais de duas décadas destacou-se como um inovador ao ensinar a Língua Portuguesa cantando, tomando como base as letras de músicas, ou seja, os grandes poemas da MPB. Não é à toa que percebemos uma carga poética indelével neste Capitão da Poesia. - Admmauro Gommes




DELÍCIAS

Te adoro!
Gosto de te ver
assanhada
dormindo
assoprando
sorrindo
suada
suja
barriga molhada
bonita
arrumada
me abraçando
me dizendo coisas de amor.

E eu
sentindo teu cheiro
teu perfume
tua química
me fazendo homem:
delícia!

Isto tudo
porque és mulher.


AS LETRAS CRIAM ASAS

Meu coração ferve?
chora?
vibra?
chama?
viaja?
Não sei!
É um passado
somado ao presente
brilhando no firmamento do aprender.
É o mundo dos senhores sem senhores
e as letras criam asas
dando sentido a momentos
a histórias
a vida
para hoje
amanhã
sempre!


DEIXE AQUI SEUS COMENTÁRIOS

9 de outubro de 2014

IMPORTÂNCIA DA LITERATURA



“A literatura é a coisa mais interessante do mundo, talvez mais interessante que o mundo”
Derrida

Se preferir, conheça um texto que aprofundará este tema em


"A importância da literatura está em ser um caminho para interpretação do mundo. Não é o único, mas é o que aguça a capacidade de livre investigação sobre tudo que cerca o homem. Aguça e problematiza, questiona e sugere novos sentidos. Desse modo, Derrida tem razão, pois sem o apoio das metáforas, não seria fácil compreender o significado das coisas." – Admmauro Gommes

"Grande literatura é a palavra carregada de significados até o último grau possível.” - Ezra Pound

Pensar em um mundo sem literatura é pensar no melhor prato sem sabor, um mundo que pode encher os olhos, mas que não se sustenta, é frágil, pois não seduz, não agrega valor emocional, não envolve, não provoca reações sensoriais capazes de produzir arrepios.” - Lourdes Melo (Profª da FAMASUL).


"Dentre todos os modos de se literaturar, o poema, – salvo melhor juízo – é a principal “joia da coroa” do reino encantado intitulado: Literatura.” - Riccardo Guerra (Jaqueira).



6 de outubro de 2014

O CORAÇÃO FERVE

                                                        Cícero Benedito
Cícero CB (2º período de Letras/ FAMASUL )

Sabe-se que poema e poesia são coisas diferentes. Texto estruturado em versos, isso é poema. Porém quando lemos ou ouvimos alguém recitar determinado texto, e sentimos algo 'intraduzível', ocorre a poesia. Salienta-se ainda que a poesia acontece na leitura de uma prosa, na observação da natureza e da pessoa amada. No poema Delícias, o poeta Wilson Santos, estimulado (e não inspirado) por sua amada, externa o eu-lírico, quando escreveu: 'Te adoro! Gosto de te ver... me dizendo coisas de amor'. Já expressamos acima sobre poesia, como algo sem tradução, 'intradução' essa, observada no poema 'As letras criam asas' no qual, Wilson Santos questionou 'Meu coração ferve?...Não sei! É um passado somado ao presente brilhando no firmamento do aprender'. Quem está apto à tradução?


MEU CORAÇÃO TAMBÉM FERVE
Admmauro Gommes

Meu coração ferve até se fartar de chamas
quando me chamas pelo meu nome.
Para não enfartar de tristeza
(quando estás ausente)
é de saudade que eu me alimento
somente.


INCRÍVEL FERVURA
Cida Vilas Boas (São Paulo)

Fervura ou ebulição é um processo em que um corpo aquoso, ao passar por aquecimento constante e gradual, sofre em sua constituição molecular transformando este corpo do estado líquido para o gasoso. Metaforicamente falando, o coração, este pacote de músculos, depósito de sentimentos(?rs), quando se aquece por um estímulo amoroso, agita o sangue de tal forma que este líquido vermelho que dá vida à "vida", se expande em resposta ao compasso frenético do comandante das emoções. Este sangue fervilha (em obediência a ele), ao ponto de sofrer uma sensível mutação.

Bem, como o firmamento para o Professor Wilson não é apenas formado de astros, estrelas, satélites etc, mas também de experiências e aprendizados antigos e atuais, conclui-se que uma alternativa diferenciada vai acontecer.

Os conhecimentos antigos fervilharam a seu tempo e deixaram marcas na medida certa. Estas, acrescidas às do presente, sublimadas e enriquecidas de toda química natural do organismo humano, o sangue ferve sim, pois o coração está flamejante de emoção; mas esse aquecimento não mais o mudará do estado líquido para o gasoso, e sim para um estado especial chamado gozoso... misteriosa alegria, jubilosa felicidade.